sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Uma linha não tão tênue assim

Um dia como qualquer outro. Rotina diária a cumprir como " integrante da sociedade nacional " , um eufemismo para contribuinte compulsório.Vou a caminho do trabalho trafegando por uma bela rua de asfalto perfeito e o calçamento idem.Um logradouro comum na cidade do Trabalho e Cidadania.Guio uma moto , sem precupação de esbarrar em algum cão vadio que a qualquer momento pode saltar de dentro de uma dessas caixas coletoras de lixo, tão bem cuidadas pela administração municipal. É muita caixa para poucos vira-latas.

Repentinamente a cena:Um motociclista que trafegava um pouco à minha frente, solta um grito, obviamente abafado pelo capacete de visor fechado.Ele leva a mão ao pescoço, perde o equilíbrio da moto e cai.Naquela hora , aproximadamente às 07: 20 , a rua estava deserta ou com pouco movimento de transeuntes.Época das férias escolares. Não deu para perceber direito.Lembro que em ato contínuo e subconsciente fui em socorro do condutor.

Era um jovem senhor.Trajava uma jaqueta branca e azul que o identificava como integrante de uma classe profissional : os moto-taxistas.Completava seu traje uma calça jeans surrada e um tênis de marca famosa. A camisa branca que usava , sob a jaqueta , tinha mangas compridas que cobria os braços até o punho.Uma forma de se proteger do sol escaldante da região.

Como caiu de bruços, tive que virá-lo de peito para cima.Um sangue de um vermelho escurecido jorrava constante de sua garganta.Inutilmente tentava , de forma desesperada, estancar o sangramento, usando suas mãos de costas queimadas pelo sol. A vida, entretanto, escapava-lhe a grandes gotas, entre os dedos compridos.A aliança no Anular indicava ser casado.

Balbuciou algo.A mão trêmula foi até o bolso inferior da jaqueta e de lá retirou uma carteira e de dentro de um bolsinho secreto da carteira , uma foto. Essa era de uma criança do sexo masculino de aproximadamente 03 aninhos. Provavelmente seu filho, seu sobrinho,seu irmãozinho mais novo...Não deu para descobrir.Ele não tinha mais voz. Seus olhos paulatinamente foram perdendo o brilho.Lembrei- me daqueles que não acreditam na existência da alma.O que seria então aquele brilho que se esvazia junto com a vida ?

Olhei para a foto. A criança sorrindo cheia de esperança e alegria, estendendo os bracinhos para quem executava a fotografia.Veio-me a mente a letra de uma música de um conjunto de rock que diz " tudo o que ele deixou / cabia no bolso da jaqueta/ a vida quando acaba cabe em qualquer lugar " . Aquela criança não mais receberia seu abraço forte de pai, de tio , de irmão...

A tragédia acima pobremente descrita , por este inútil blogueiro , é , por puro milagre, uma ficção. Por puro milagre ,obra do acaso ou do imponderavel ,como queiram, a linha de uma pipa, untada de cerol grosso, atingiu o capacete na altura do queixo desse motociclista, personagem real e não escorregou direto para sua garganta.Decidiu o destino que a linha subisse até a viseira do capacete e lá ficou presa,danificando- a completamente.

O detalhe é que não tinha nenhuma criança ou adolescente no momento à beira da rua brincando com a pipa.Ela estava presa na copa de um pé de jambo e a linha atravessando a pista.Provavelmente deve ter vindo de longe, trazida pelo vento e perdeu altura no período noturno, repousando placidamente sem que ninguém interessado tenha visto. Como uma víbora ,dormitou a espera de uma vítima pela manhã.Brinquedinho inocente este.

Além dos buracos, cães,condutores de carro embriagados (os condutores não o carro )e outros motocicilistas irresponsáveis que fazem ultrapassagens proíbidas, ainda tem mais essa praga para nos atormentar. A vida as vezes fica à mercê de uma linha ou que desce ceifando-lhe-a ,ou que sobe dando-lhe-a uma nova oportunidade de prosseguir na rotina.Para evitar essa loteria macabra vou comprar uma daquelas anteninhas e seguir guiando pelas retóricas ruas perfeitas.Espero que o moto-taxista também.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Manuel Piau defende Organizações Jurubeba





Fonte da imagem:scrapsdinamicos.com.br

No último post recebi uma " penca" de comentários anônimos,  a maioria com conteúdos impublicáveis.Uma pena. A Constituição de 1988 garantiu aos brasileiros o direito de liberdade de expressão.Direito esse conquistado às duras lutas, inclusive à custa de vidas humanas.Alguns jogam essa oportunidade fora por receio de nada ou mesmo covardia.

Não aprenderam ainda que vivemos em uma democracia.Comentário anônimo,mesmo crítico, não é crime, apenas seu autor não está protegido pela constituição.Porém, ataques pessoais à honra individual, coletiva   e ameaças físicas , o são. E não devem ser confundidos com crítica e muitos menos tolerados.

Critiquei a figura do prefeito como homem público que é e não como individuo.Não seria eu tão abjeto para atacar sua honra, de sua família ou seus antepassados.Como cidadão cruzeirense critico a administração municipal que não se resume apenas a uma pessoa, somente tem uma figura principal.E o que faz de sua vida em particular, não me diz respeito e nem a ninguém.

E não pensem esses " terroristas anônimos" que estão tão "anônimos" assim na internet.A coisa mais trivial, no caso de investigação judicial, é localizar alguém pelo seu IP na rede mundial de computadores.Portanto, cuidado com o que escrevem a respeito dos outros, cambadas de ignavos.

Como não podia deixar barato liberei alguns comentários anônimos que considero que não tenham teor de ofensas à honra alheia.Em minha defesa, para manter a impessoalidade, convoquei o defensor dos tolerantes inoperáveis, Manuel Piau ** para responder esses intolerantes operáveis . No seu planeta natal não tem esse negócio de profissão regularizada, por isso não cobrou honorários das Organizações Jurubeba. As acusações vão em azul. Manuel Piau**, doravante MP , responde em vermelho :

Ficou abalado porque não foi convidado? hehe

Por Anônimo em Prefeito zelador perfeito em 03/01/11

MP: Sem dúvidas. Não é fácil para ninguém  descobrir que é politicamente inviavel. Porque deveria ser diferente para o meu cliente ? Mas farofa com carne gorda não dá certo. Ele tem gastrite honrosa. Faz mal. E como afirmou, é só uma idiossincrasia.Cada cabeça é uma sentença.Se a tua tem chifre,mesmo sendo um cavalo, a culpa não é nossa,hehehe.....he!
Falar do prefeito é facil, ruim é ser ele.Comenta o belo concurso da educação q o estado fez.
Por Anônimo em Prefeito zelador perfeito em 03/01/11

MP: Você está certo. Meu cliente não pode ser prefeito. É desprovido da beleza mudana, pobre de metais, é tímido com as palavras, não conta meias patacas em noites inteiras, não conseguiria comer em lata de goibada e nem beber água em cuia, só para agradar aos eleitores mais humildes na época de eleição e tampouco teria coragem de beijar um menino melequento, mesmo respeitando a condição social dos pais do moleque. Não é  fácil realmente ser o seu mestre. É mais cômodo criticar. Por isso o seu patrão é prefeito e nós somos nada. 
 Quanto ao concurso vai perguntar para os aprovados se eles acharam ruim, seu preguiçoso mental. Puxe menos saco do prefeito e estude mais da próxima vez, quem sabe  você consegue...

 Claro primeiro tem q ser aprovado...vão se...
Por Anônimo em Prefeito zelador perfeito em 03/01/11

MP: Vão se o quê ? Espero que seja banhar no Igarapé Preto, antes que seja transformado em um esgoto.Não acredito que um humano adulto decente tenha querido dizer algo diferente disso, não é  "sêo" moleque ?


por que vc só fala mal do prefeito? É ruim ser funcionário do governo e não poder falar mal dele ou vc é cego?

MP: Primeiro, o meu cliente não é funcionário do governo.É do Estado do Acre.Pelo menos está assim no contra-cheque.Agora se você é do prefeito, deve ir trabalhar na fazenda dele.O salário lá é bem melhor.Foi o que ele disse na greve dos servidores da saúde, lembra ?
Não falamos mal do governo, porque já tem gente demais fazendo isso e de forma bem contudente.O que é muito bom para a democracia, aquela que você tanto odeia. Além disso , é mais divertido falar de nossa Sucupira e seu administrador aloprado da lingua ou da " Springfields Cruzeirenses", como diz o pessoal do GAUPF. 
Meu cliente não é cego, é apenas daltônico ao azul extremista.Tudo o que é demais fede a merda de galinha já dizia a vó do Crazebeque. Finalmente, o blog é nosso e a gente fala de quem bem entender, já que não fazemos matéria jornalistica e isto aqui não é concessão pública. Então não somos obrigados a sermos imparciais.Nós somos parciais mesmos ! 
_________________________________________
Manuel Piau ** é uma alienígena alienado que dispensa apresentações.Só entra nas divididas por cima da linha bola.Popularmente, ele "entra de sola".Tirem o pé...



Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog