segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

ENQUANTO A MISANTROPIA NÃO ME TOMA POR COMPLETO ...

Por que me visto tão mal ?

Decerto que não sou um maltrapilho sem opção. A esta altura da vida poderia usar roupas mais caras e de grifes. Poderia até me desfazer do carro popular e investir as economias em algo mais prazeroso sobre quatro rodas.

Mas não. Por enquanto ainda não e talvez nunca.

Não julgo quem se prende ao bom gosto das roupas caras e combinadas. Que sejam felizes como são. Meu cisma aqui é outro.

Faço de mim uma figura pobre e mal trajada  de forma proposital. Quero afastar de mim os infames, falsos, destiladores de peçonha. Estes não resistem ao toque simples, cru.

Não é ódio e nem desgosto, é pura diversão. Liberdade de ser assim, eu.

Gosto de ver e comprovar até onde  vai a covardia e a podridão desses humanos, que julgam as pessoas pelo o que veste, o que calça, o que dirige, quantos 's' se gasta no palavrear...

A essência e o caráter jazem por completos. Pobre hipócrita, este povo ocidental, suposto  "cristão", que adora gabar-se de ter como Deus Aquele que se fez carne, habitou entre nós e veio a este mundo em uma humilde manjedoura, em um estábulo qualquer, tendo como pais, pobres de riqueza material.

Certamente a mensagem do Messias não foi para que fossemos pobres e maltrapilhos para sermos dignos. Não me venham com esta, pois ! A dignidade humana, entretanto, no dobro da distância, não está na boa aparência que pode ser comprada, facilmente fabricada ou  na simples origem do individuo.

Me divirto observando este povo hipócrita, que se parasse para olhar mais atentamente veria um discreto sorriso de ironia . Eles não te olham na cara, dentro dos olhos. Te julgam de longe.

Me julgam pela pintura, eu os julgo pela alma. 

São como moscas morféticas por não diferenciar o veneno fatal incluso na sujeira da qual alimentam-se diariamente!  

Não sou e nem quero ser, por certo, melhor que eles. Só diferente e distante, um indivíduo estranho.

Assim a vida é justa e quase divertida...
      

domingo, 20 de janeiro de 2013

COTA ? PURO CINISMO ESTATAL !

Cotas ? Já estou quase esgotando minha cota de paciência em  falar sobre o assunto.

Racial ?

Me chamarão de maldito, mil vezes maldito, mas...

Sou contra não por paixão ou por 'embasamento teórico' qualquer. Rotulado como panfletário já estou. Sou contra por convicção própria.

Sou contra porque não aceito ser classificado tal qual se classificam os ursos em 'branco, preto e pardo'.

Porque a própria e atualizada ciência genética humana, desconsidera tal aberrante divisão para o Homo sapiens.

Porque 'racista' é quem acredita em raça (como o Hitler acreditava) e não quem nega veementemente sua existência.

Porque se existe o mito da democracia racial brasileira, estão tentando substituí-la pelo mito de que a salvação está na distribuição facilitada do diploma de ensino superior público. Enquanto isso, no mercado de trabalho sobram vagas para técnicos com salário bem maiores de quem tem nível superior.

Por que não investir mais em cursos técnicos de nível médio ? Pra que diabos esta mania abarrotar o país de bacharéis e licenciados ?

Social ?

Igualmente contra. Estudar o ensino fundamental e médio em escola particular, necessariamente não significa dizer privilégio. 

Acreditem, muitas vezes significa sacrifício, tanto dos pais, que deixam de comprar luxos para investirem na educação dos filhos e dos filhos que reconhecendo o esforço hercúleo dos pais se dedicam com afinco em busca do conhecimento. 

Que justiça social é essa que prejudica quem de fato se esforça para ter algo na vida ? Não é a 'elite' quem estuda  nas escolas particulares brasileiras e sim os filhos da já atribulada 'classe média' que arca com a maior parte do bolo dos impostos que mantêm este país.

Os filhos da elite estudam no exterior ! ( não incluir aqui a Bolívia, Peru ou Cuba)

Querem promover de verdade a revolução social ? Esqueçam estas aberrações politiqueiras chamadas de cotas. Deixemos, pelo menos uma vez nos últimos cem anos, de imitar o mais racista de todos os países , os EUA.

Vamos imitar a pequena Coreia do Sul, que há pouco tempo era pior que o Brasil.

Lá não criaram cotas para ensino superior. Só investiram pesado na educação fundamental e média em tempo integral. 

Não inventam nada de novidade. Só obedeceram ao que diz lá Declaração de Direitos da Pessoa Humana, no artigo 26, que fala sobre a educação:

" Toda a pessoa tem direito à educação. A educação deve ser gratuita, pelo menos a 
correspondente ao ensino elementar fundamental. O ensino elementar é obrigatório. O 
ensino técnico e profissional dever ser generalizado; o acesso aos estudos superiores 
deve estar aberto a todos em plena igualdade, em função do seu mérito.   

Mais alguém leu  aí a palavra 'mérito' ?      

Um dos poucos políticos decentes deste país, o senador Cristovão Buarque , afirma que o inicio de toda desigualdade está na educação primária. 

Bingo !

Antes de se afirmar com convicção que somos um país 'racista', tem-se que primeiro resolver o radical da questão: os que têm pele escura  estão fora do ensino superior público pelo fator 'racial ou é por que justamente não têm acesso a um ensino fundamental público, gratuito e decente ?

Sim. Eles não têm, juntamente com todos os pobres de todas as cores, credos, religião e time de futebol.

Viva a hipocrisia política e nossa panaceia cínica e urdida.

Me xinguem de maldito, mil vezes maldito !

  



Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog