quinta-feira, 30 de junho de 2011

SOBRE TER AS COSTAS LARGAS

Estava à mesa na hora do almoço e antes de terminar meu bocado, eis que ouço vozes. Não, não eram do além. Vinham do aparelho de TV, sozinho, ligado na sala e sintonizado no canal que transmite noticiário local.


Já deixei de assistir àquele noticiário. Sinto sono. Não há baixaria. Na televisão eu só gosto de baixaria, briga, confusão. Sou uma vergonha para os bons costumes. Sempre fui mal educado em se tratando de televisão. Na verdade sou mal educado em tudo. Odeio Jô Soares, imitando os americanos, e adoro o Ratinho, genuínamente brasileiro.

Bem. Como disse, vozes me chamaram a atenção. Vou à sala e vejo ele sendo entrevistado : Mestre Sales. Soube de imediato que seria show. Aliás xôu, xôu. E ele estava magnífico. De camisa polo com o desenho de jacarezinho e tudo. É marca registrada. Se o nosso herói não fosse assim tão desprovido da ganância mudana poderia até cobrar mechandising.


Só hoje observei que Vagner, com "V", tem a veia do pescoço grossa. Quanto às costas não me preocupei já que ele mesmo declarou que as têm largas para suportar as críticas.


E Sales foi xôu. Com incrível capacidade de eloquência e de não permitir aos outros falarem, deixou o entrevistador na poeira, encolhidinho na poltrona. Fez valer cada centavo da verba publicitária .


Além da veia do pescoço grossa  e das costas largas, Sales tem a língua grande. Sobrou até para um repórter da casa a quem o Mestre acusou de ter cargo em comissão no " guverno do Istado " e trabalhar na empresa de comunicação . Com muito esforço o entrevistador conseguiu um espaço na fala e disse que Vagner estava equivocado e mal informado.

Acho que ambos estão equivocados. O funcionário público pode ter o tanto de emprego na inicitiva privada que quiser ou puder, desde que não atrapalhe o público. Não é ilegal e nem imoral. O dinheiro é do empregador particular. Emprega quem bem entender. Problema dele.

Eu tenho vergonha de andar nu. Vagner com " V" disse não ter vergonha empregar o filho dentro da legalidade. Ele não teme a moral. Vergonha só teria de empregar um inimigo sem competência. Entendo. Acima de tudo está a confiança. E se a confiança for em parente próximo melhor ainda. A questão do pagamento com o dinheiro público é mero detalhe. Quem liga  neste país ordinário ? No fim a culpa recaiu sobre o vice-governador e o prefeito de Rodrigues Alves. Perfeito estratagema.


Afinal, e quanto à denúncia ? Sales seguiu o curto caminho de desqualificar. Não a denuncia. O autor." É muita falta de desconhecimento ", sentenciou, seco. Foi demais para minha barata filosofia ! E depois tem gente que ainda pergunta por que bebo e cuspo na parede.

E sobre a grande revolução urbana ? Vagner pediu paciência. Compreensível. Não é fácil sair da idade medieval para a cidade do futuro em apenas três aninhos. Oras bolas, há poucos anos vivíamos na mais completa escuridão. Hoje somos a Cidade-Luz do Acre. A antiga Cruzeiro do Sul hoje é a ParisSales.

Por enquanto,  babau de asfalto, mas pelo menos ele truxe o SENAI.  

Em definitivo adoro baixaria. O diretor da televisão também. Concedeu dois blocos de entrevista ao Mestre Sales. Para mim foi a maior audiência do ano. Pela primeira vez interrompi meu almoço para assistir a dois blocos do telejornal local . Se desta feita Sales não brigou _ e não foi preciso já que quem mandou na entrevista foi ele _  presenteou meu tempo com pérolas de iguais utilidades .

Quando voltei à mesa, a família já tinha encerrado o almoço e meu prato esvaziado para o prato do cachorro. E ele me encarou. Parecia feliz. Se falasse diria : " Perdeu playboy ". Em casa até o cão tem as costa mais largas do que as minhas. Nunca serei prefeito. Meus parentes se quiserem emprego público que estudem...
Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog