sábado, 20 de outubro de 2012

HIPOCONDRÍACA HIPOCRISIA DO NOSSO BOM DIA

Não sou, nunca fui e nunca serei um 'amor de pessoa'. O pessoal me critica na ausência por não ter me especializado em dar bom dia . Essa gente mesquinha e falsa adora receber e dar bom dia. Quebram a cara porque o meu dia só vai ficar bom mesmo lá pelas 10 horas da matina. É coisa minha, não tem jeito.

Como não sou hipócrita não faço cara e boca de boboca. Aliás, meu semblante não engana a ninguém, quando estou puto qualquer um percebe. Não faço questão de esconder, sou péssimo ator na vida. O que me faz ser assim ?  Sei lá, talvez tenha qualquer disfunção do sono ou coisa que o valha.

" É um sem educação, grosso, mal humorado, sem Deus no coração, mal amado" são alguns dos diagnósticos a que o povo especializado em boa educação me submeteram.

Posso até ser isto aí mesmo. Só não entendo por que as pessoas bem amadas, educadas, finas, bem humoradas e representantes do Criador nesta Gaia se irritam tanto com quem não está habituado a dar bom dia.

Com todos os meus defeitos não me chateio com quem me oferece um bom dia, mesmo quando feito de forma mecânica. Não costumo é retribuir. No máximo devolvo é um 'Emanuel'. E povo que tem Deus no coração ainda fica irritado. Depois eu é que não tenho senso de humor.

Será que essa gente se permite dar o primeiro 'bom dia' ao espelho ?

Aceito o rótulo de 'sem educação' quando o fato é ser bem-educado, cortês. Adoraria morar num mundo ideal no qual realmente o 'bom dia' funcionasse, assim como o 'com licença', 'por favor' e 'obrigado'. Admiro quem assim procede de coração, mas é que na pressa eu acabo esquecendo de praticar. Prefiro, entretanto, ser mais pragmático. 

Prefiro respeitar a vez dos outros seja nas filas, seja no trânsito. Prefiro devolver o achado que não me pertence, prefiro quebrar a corrente da maledicência quando esta a mim chega, prefiro não criticar ninguém na ausência, prefiro me calar quando não tenho nada para dizer. Prefiro a palavra branda ou mudar de assunto quando este é inconveniente a outrem.

Prefiro ajudar ao próximo, melhor ainda se eu anônimo ficar. Não faço isto para ficar de bem com a lei, com Deus ou porque tenho medo do tal diabo, esta tola criação mitológica. Faço para me sentir acima tudo de bem comigo mesmo e é o que basta. É a medida do meu egoísmo. 

Melhor do que boas maneiras, é a decência, a honestidade, a lealdade, o cumprimento das dívidas morais ou financeiras, a boa-fé, a tolerância...Superior no ser humano é sua essência ? Talvez, mas e seus atos e ações ?

Estou realmente longe de ser um amor de pessoa, na mesma distância contrária  que me torna o pior entre as gentes por não ter aprendido a dar o obrigatório 'bom dia' de todos os dias.

Jamais pediria que as pessoas, por bom alvitre, deixassem de desejar 'um bom dia' às outras. Só quero não ser forçado a exprimir minha contagiante alegria matutina, para parecer mais humano. Eu só quero ser a exceção da regra.

Bom dia :  "Aqueles nunca terão, jamais terão".

P/S: Pior que isto é ter que responder " Deus te abençoe" depois de um " a benção tio ". Melhor seria dizer :" Faça a coisa certa na vida moleque e fique dispensado desta toleima social opressiva para comigo. Prefiro um caloroso abraço a essa fria mecânica de estender a mão com frouxo aperto. O abraço é tão divino quanto o largo sorriso". 
   
Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog