sexta-feira, 18 de junho de 2010

É só evitar a soberba II

Em post recente utilizei a figura de um barco para simbolizar a situação da FPA no Acre.Da mesma forma quero usar a mesma figura para falar da oposição.Com uma diferença.É o mesmo sentido , mas direção oposta como a gente aprende na aula de  física quando se fala da Dinâmica.

Enquanto o barco da FPA singra as águas políticas, com as amarras bem ajustadas e bem comandada,  rumo ao sol se pondo no horizonte como acontece em filmes de happy end, a nau da oposição caminha rumo à tempestade e à escuridão, sem comando tal qual um bolo fecal levado pelas águas.

Um dos maiores conselhos que se tem na política diz que nunca  devemos interromper nossos adversários enquanto estes estão cometendo um erro.A condição moral da oposição é tão caótica no Acre, que a situação pode se dá ao luxo de passar dicas importantíssimas que ninguém se dará ao trabalho de por os neurônios para funcionar.

É um mamute acéfalo  pisando em louças. Pelo menos é assim que o quadro se apresenta.Vejam os últimos movimentos na oposição: rasteira no Pinto, candidatura única do cara mais antipático da oposição, o Bocalon, desistências de candidaturas tidas como certas, declarações de um pré-candidato ao senado que diz que primeiro a militância do seu partido terá que pedir votos para ele e só depois para o outro.Prefeitos de oposição que já declararam a retirada do apoio ao " boi - de - piranha - da - vez " que atende pelo nome de Petecão.

Sou um eleitor que sempre gostei dos embates políticos. E o Acre já teve memoráveis.Quem esquece da campanha para governo de 1990 ? da " guerra" do 11 de Edmundo Pinto contra  o 13 do Jorge Viana, principalmente na capital  ? A FPA saiu derrotada, mas paradoxalmente fortalecida.Sentia-se ali que era  só uma questão de tempo, porque entrou unida, perdeu unida e assim permaneceu para os próximos embates.

Não é bom para a democracia e nem ninguém, nem mesmo para o projeto da FPA, ter uma oposição tão débil de idéias e lideranças.Não creio que oposição esteja preparada para assumir o poder. Não estava preparada nem mesmo quando já esteve no poder. Os poucos que ainda reúnem essas condições estão sem voz e vez .Os caras não conseguem se unir nem  fora do poder, imaginemos aqueles com este nas mãos.

A situação está tão crítica, que chego a pensar que tudo isso não passa de uma farsa, uma verossimilhança. Um jogo urdido do tipo dá uma pedra para comer três, como acontece em um jogo de " damas" .Só pode ser. Estão querendo anestesiar os sentidos dos adversários  para o posterior bote certeiro.

Mas como na oposição o jogador é  míope, daltônico e está bêbado é mais fácil ele eliminar as próprias pedras, pensando ser as do adversário.Assim esse adversário só perde se for para ele mesmo.Só  a soberba da lebre é capaz de fazê-la perder a corrida da tartaruga. 


terça-feira, 15 de junho de 2010

Como curtir uma copa sem estresse

Ver imagem em tamanho grande















A copa do mundo é algo realmente sensacional ! Tolos são aqueles que ainda teimam em ser contra ela. Muita gente que ver conspiração em tudo, considera, ainda , a copa mundial de futebol masculino como o ópio dos países subdesenvolvidos.

Concordo que algumas vezes alguns dirigentes de nações, mal intencionados usaram essa paixão mundial como forma de ganhar uns pontinhos extras com seu povo, como por exemplo na copa de 1978 na Argentina. Mas, espere aí ,eu disse paixão mundial então não é só os cidadãos bitolados-de- paísinhos -subdesenvolvido , como nosso , que gostam do chamado esporte Bretão.

Não existe relação nenhuma em gostar de futebol e ser pobre e pouco alfabetizado.Então " deixa  nós gozar " também, pô ! Cantar o hino nacional com mão sobre o peito e sentir-se o maioral do mundo,  "entre outras mil és tu Brasil".  Muita gente metida a instruída detesta o que vou dizer: É só quando o Brasil é nação.Nada mais nos une ou nos une mais.

E penso que não existe momento mais bonito  dos jogos da copa do que o momento da execução dos hinos nacionais.A expressão dos jogadores com rostos soturnos de soldados em campo de batalha. Sensacional ! Na história das copas, fala-se de lances e jogadas e times inesquecíveis, mas não se repete as imagens dos times desfilados prontos para a guerra, quando guerrear significava o direito de sobreviver, defender nossas terras , mulheres e crianças dos invasores assassinos,como diz a letra do hino da França. É um instante fugaz que só se repete a cada quatro anos.

E por falar em letras dos hinos nacionais,eles dizem muito sobre os países. Infelizmente este ano por força de contrato a Vênus   Platinada não pôde por a letras traduzidas na tela para não atrapalhar as imagens.Assim o hino francês quase não tem graça.E a gente nem pode rir de trechos  do hino de Portugal como aquele que diz: " contra os canhões machar, machar". Só português mesmo para correr para cima de bala ! Espertos somos nós que vivemos "deitados eternamente em berço esplêndido", enquanto os caras da Nova Zelândia  falam em " trabalharem dia e noite pelo progresso da pátria ".

E para quem teima em não gostar de futebol, mas curte o bom humor é só assistir aos jogos narrados por Galvão Bueno.É cada uma. A última dele: "A Alemanha joga algo parecido com futebol". Espero que  a FIFA tenha ouvido isso, pois poderá cassar os três títulos  de campeã conquistada pelos alemães, por trapaças contra os adversários. Imagine, jogar uma coisa que ninguém sabe o que é, mas pensa que é futebol. Não Vale ! E nessa copa a Alemanha já fez a primeira vítima de sua trapaça: 4 a 0 na Austrália.

Mas, se você for um daqueles fundamentalistas esclarecidos que não confiam na Globo, então assista na Band, com o míope do Luciano do Valle errando o nome dos jogadores e sendo " corrigido" pelo comentarista " É brincadeira" Neto, o poliglota de Santo Antonio de Posse. Agora, se você não tiver saco para ouvir pelo menos umas vinte vezes o termo " no costado  da zaga, esqueça o Luciano do Valle.

E para aqueles mais fanáticos, não percam os cabelos e unhas com a seleção escolhida pelo Dunga, o teimoso.Segundo o Jorge Kajuru, está tudo armado para o Brasil não ganhar esta copa.Em 2014 virá a recompensa quando o Brasil ganhará de qualquer a jeito a copa dentro de sua casa. Tudo em nome dos "negócios".Vou dizer uma coisa: Se uma seleção africana ficar entre os finalistas, com esse futebol pereba que apresentaram até agora, passo a acreditar no maluco do Kajuru. Em tempo: em 2002 ele previu ou a Coréia ou o Japão entre os finalistas.Não deu outra.

Eu estou tranquilo. Galvão Bueno o maior pé frio da história do futebol, foi categórico essa semana: " O Brasil nunca teve uma zaga tão boa". Como o melhor narrador do Brasil nunca erra, a seleção brasileira só perde essa se for em decisão por penalidades máximas.E esta tem sido até agora a copa dos "frangos" .Xiii !  Será, Júlio Césarrrrrrrrrr ?      
Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog