terça-feira, 26 de julho de 2011

RESSACA DO ALMOÇO

Zum, zum, zum, ziriguidum,dum,dum...

Ouvi hoje pela cidade :
 - Foi.
_ Não foi.
_ Dez Bois.
_ Ofereceu...
_ Foi ?
_ Foi  na TV.
_ Foi na TV ?!
_ Foi ! 
_ E o jornalista, tava lá ?
_ Tava, mas achou graça sem graça.
_ Eu também quero, mas e depois ?
_ Falta não faz 600, imagine 10.
_ Vamos denunciar também ?
_ Eu não. Veja o moço, coitado, só quis dar o seu recado e foi chamado de desvalido.

E cantavam em ritmo de musiquinha natalina:

Quem me dera se eu também,
fosse tido um Zé-ninguém
Talvez ganhasse uns bois 
Mas o meu medo é depois ( ... ).

E eu, na feijoada , em plena hora do almoço, tendo que aguentar o já  Não-moço
vestido de manga polo verde da marca do jacarezinho
Teve baixaria, tinha bigode ralinho mais não era O Ratinho,
Na televisão.

_ Que bom que tem gente preocupada com o futuro da gente ...Imaginem :  dez bois !

Mas agora eu só quero saber de feijoada e de samba quente.

Zum,zum,zum, ziriguidum,dum,dum,baticundum...falei para parar, parou...priiiiiiii, priiiiiii, priiiiiii !!

IVO GALVÃO É SABATINADO

IVO REPETE O GESTO DA ESTÁTUA DE PLÁCIDO DE CASTRO

Ontem (25) à noite, o professor Ivo Galvão (centro) esteve na faculdade de Comunicação Social/ Jornalismo da Ufac no Campus Floresta, em Cruzeiro do Sul e concedeu uma entrevista coletiva aos acadêmicos. O ato fez parte de atividade escolar provocada pela professora Juliana Lofêgo (à esquerda). Ivo Galvão é o atual secretário municipal de educação de Cruzeiro do Sul.

Galvão falou de sua trajetória de vida e profissional, respondeu questionamentos sobre a educação brasileira, acreana e, claro, do município. O teor da entrevista será divulgado na segunda edição do jornal universitário " Voz do Campus", produzido e editado pelos pŕoprios alunos do curso.

Este blogueiro, que não sofre do mal do maniqueísmo, conhece Ivo de tempo mais idos. E ontem, ao vê-lo respondendo, de forma desarmada e firme, as perguntas direcionadas, reforçou-me a percepção de que trata-se de uma pessoa preparada para o cargo político que ocupa. Um dos poucos , quem sabe o único, da atual gestão municipal. 

Se o conhecimento do professor sobre a legislação e processos educacionais e o seu empenho pessoal, se traduzirá, ao final de sua gestão na pasta, em melhorias da qualidade do ensino fundamental, só o tempo dirá. O fazer da educação não se medirá em poucos anos. O caminhar é longo.

Enquanto Galvão falava, eu ficava imaginando ele tentando convencer o chefe  coronel a investir nas escolas e nos alunos. Deve ser um suplicio ou fácil demais. Ivo me parece  um estranho no ninho. Ao vê-lo junto de (censurado), eu penso no polaco Nicolau Copérnico tentando ensinar a Teoria Heliocentrista a um velho fundamentalista religioso ou Sócrates tendo que tomar cicuta.

Pelo que entendi o secretário deseja um dia ser prefeito. Eu, no rompante, o aconselhei: No atual sistema político brasileiro ? Faz isso não, professor ...
Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog