segunda-feira, 5 de abril de 2010

O presidente e o patrono dos garis

Ontem à noite assisti a entrevista de Lula no programa Canal Livre da TV Bandeirantes.E o presidente falou de tudo um pouco: reforma tributária, eleição, política externa e  outras coisas que são  de praxe para um presidente da república responder.

Entre os interlocutores de Lula estavam os jornalistas Antônio Teles, Joelmir Beting, Luis Datena, Fernando Mitre  e ele, o patrono dos garis , Bóris Casoy. E essa criatura foi quem prendeu minha atenção durante o debate.Eu ficava ouvindo as explicações do presidente e torcendo para a câmera focar a expressão facial do jornalista.

Os outros comunicadores participantes da mesa, sempre que Lula estava respondendo aos questionamentos, demonstravam aos telespectadores que estavam atentos ao que o entrevistado falava , através do típico gesto de balançar afirmativamente com a cabeça.

Mas Bóris não.Ele se mantinha inexpressivo nos gestos.Seu olhar, porém ,denunciava que não estava dando a mínima para as respostas.Parecia um delegado de polícia ouvindo um suspeito a quem de antemão já julga como culpado.

Eu na poltrona, inquieto, comecei a fazer ilações sobre o que diabos o danado do Casoy estava pensando ao encarar Lula daquela forma. " _ Como esse nojeto semi-alfabetizado, ex-operário , um quase gari, pode ter sido eleito por duas vezes presidente e está no fim do segundo mandato com uma popularidade estupenda ? "
Seus olhos pareciam dizer isto.

"Como pode um sujeitinho deste está preste a entrar para a história como o mais popular presidente da história da nação, sem ter um mínimo de qualificação acadêmica ? E eu , como faço para detonar esse pé-de chinelo e seus discursos cheios de erros de concordâncias gramaticais ? " Parecia realmente que pensava desta forma aquela sua cara de lobo mau das histórinhas.

E o Lula ainda cutucava: " Não perco mais minha paciência com certos tipos de perguntas, como daquela vez em que eu era candidato a presidente (1989) e um repórter em um programa de entrevista da responsabilidade de um de vocês aqui presente, perguntou porque eu queria ser presidente se nem falar inglês eu sabia " .Nesse momento a câmera se voltou para o rosto de Casoy. Seus olhos soltavam faíscas.

" Desculpe presidente, mas seu governo quis sim controlar a imprensa" acusou Bóris a certa altura do debate. E o presidente :" Meu caro , os maiores censuradores da imprensa são os seus próprios donos " e completou :  Nunca liguei para nenhum de vocês para reclamar das críticas sofridas" . Coitado da úlcera do Bóris, ontem ficou um pouquinho maior.

Duas coisas ficaram nítidas : Lula continua imbatível em um debate democrático e Bóris Casoy o ama de paixão por tudo que ele (Lula)  representa. Nos altos de suas vassouras, muitos garis, os mais baixos da escala social _ segundo Casoy _ ao verem as resposta serena do presidente e o semblante do jornalista, devem ter dito : " Tome  mais essa, seu boca mucha ".  


Um comentário:

  1. Nolasco vc é mesmo um "Plus". Também assisti a essa entrevista.E como a maioria dos que assistiram fique ligada no que o Lula falava e nem me liguei na figura asquerosa desse tal jornalista.Mas agora vc falando realmente me vem a mente que o único emburrado na " mesa "era ele.Deve ser duro para alguém metido como ele suportar um cara como o Lula que fala como o povão

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog