sábado, 28 de agosto de 2010

Ainda chegaremos lá


Conversando sobre política com uma conhecida, questione-a se já tinha decidido em quem votaria nesta eleição geral.Informou que ainda estava em dúvidas.Eu,pelo contrário,já tenho a chapa fechada.Declarei à mesma o porquê da minha decisão.Deu com ombros e disse que em pelo menos um dos nomes que citei não votaria de " jeito nenhum".

Disse-me que tratava-se de um " mão-de-vaca", pois o teria procurado para patrocinar uma festa de formatura de uma determinada turma de um determinado curso de graduação de uma determinada instituição de ensino superior  e o mesmo teria negado usando o argumento que estaria incorrendo em crime eleitoral, pois neste caso seria compra de voto e portanto, não concordava com essa forma de fazer política.

" Esse não vai ganhar voto de ninguém", finalizou.E claro que poderia minha pessoa, dispensar um pouco do meu tempo e verbo para explicar que o pensamento dela não condizia com a moral da nossa democracia eleitoral. Entretanto, percebi ser um caso perdido.Já é alguém com opinião fechada.E não é por falta de informação.Campanha a respeito é o que não falta.Só o tempo talvez a fará mudar de opinião.

Dessa prosa começo a fazer ilações. Por um lado fiquei contente ,visto que  ainda existe candidato decente para votar e também pedir voto.Por outro lado senti , mesmo que passageiro, um misto de desânimo e incredulidade de que o Brasil realmente possa mudar e que a politicagem um dia seja suplantada  pela política, no seu termo original.

O que se ouve e virou ladainha nacional é de que os políticos não prestam ou são todos iguais.Não.Os políticos não são todos iguais , assim como a consciência política não depende do grau de escolaridade do eleitor.Nossas escolas e universidades não nos ensinam a ser cidadãos.Talvez a vida e o tempo.

Quem são os políticos, senão gente como a gente (pelo menos uma parte), que um dia tiveram os mesmos sonhos de mudanças ? O que faz com que estes , pareçam tão nefastos aos olhos da maioria a ponto de alguns optarem pelos " os menos piores", quando deveriam está escolhendo os melhores ? 

Alguns ditos politizados, costumam dizer que é o sistema político do país o maior vilão dessa peça.Que a tal reforma política, seria a bola de boliche nos pinos das antigos costumes do toma lá, dá cá ,das locupletações e da falta de partidos mais fortes .Não creio que ainda seja a solução.Nada disso terá efeito algum enquanto o eleitor,senão todos, a grande maioria, deixar de votar e eleger prefeitos que investem em saneamento básico que ficam escondido em baixo do asfalto.Deixar de aplaudir e eleger os legisladores que fazem o  seu verdadeiro trabalho constitucional.Que nada tem a ver com "dá esmolas".

Pensamento como a da minha conhecida do início do post , reflete o pensamento de nossa maioria.Nós eleitores fazemos o papel de " peneirar" os políticos.Só que infelizmente estamos nivelando por baixo.Costumamos excluir aqueles que "não fizeram nada".Mas o que significa esse " não fazer" ?

Quantos dos eleitores acompanham o trabalho dos deputados,senadores e vereadores ? Como então podem dizer que nada fizeram ? Essa inércia do eleitorado é que permite aos maus políticos aparecerem com suas ações inescrupulosas de ações de graças aos mais desvalidos de riqueza e/ou de mentalidade.Isso sem gastar um mísero centavo do próprio bolso.E são justamente estes que alguns eleitores dizem  merecer a vaga por que "trabalharam".

Ora, investir na educação, fazer projetos para melhorar a saúde e acompanhar passo a passo os seus desdobramentos, ter respeito ao meio ambiente ou qualquer outra ação que não pareça vultosa aos olhos dos eleitores, não rende votos.Não para a maioria.Aí os maus florescem.Os bons se quiserem permanecer que também entrem neste jogo, no qual poucos ganham enquanto uma maioria paga a fatura.   

Quando o eleitor brasileiro tiver atingido uma verdadeira maturidade política, ao receber uma resposta de um candidato como recebeu minha colega, ao invés de ficar revoltada e desistir de votar, com certeza dará os parabéns, por sua retidão e decência.Será um exemplo a ser seguido e não ridicularizado.Da minha parte, este candidato só não ganhou meu voto naquele momento da conversa, porque já havia ganhado antes.Devo, então está indo no caminho certo.Parafraseando o Vinicius: Que não seja santo, posto que é humano, mas que seja decente enquanto político.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog