quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O circulo se fecha


" Seja qual for o resultado das eleições , o MDB estará no poder e Vossa Excelência deverá ser o presidente (do senado) .Essa é nossa única garantia ", foi a frase irônica proverida ontem pelo senador Pedro Simon (PMDB-RS) antes de iniciar seu discurso no plenário do senado a um colega de partido reeleito pelo estado de Roraima.

Sem dúvida trata-se de uma fala com todos os sentidos expostos.Simon sabe do que fala.E o melhor ele fala o que pensa. Pena que o senador gaúcho esteja se aposentando.É um político de raro valor que não abandonou suas convicções históricas a despeito do que se tornou a sua sigla partidária.

Vejam que ele ainda se refere ao MDB, o velho MDB que outrora foi heróico na luta pela redemocratização do país,rivalizando com a extinta ARENA (depois PDS) que representava o todo retógrado, mesmo para a época.

Mas está se aposentando no fim do seu mandato e com ele levando o último naco decente do que um dia foi o MDB. Na concepção real de partido, o PMDB nunca o foi.Aliás,sempre representou o contrário do signo, tanto quando comandava a política brasileira,quanto agora exercendo o poder de fiel da balança.É uma verdadeira "colcha de retalho"

É verdade que na política atual brasileira a questão da ideologia de grupo está eterizada.De qualquer forma o PMDB ainda está um nível abaixo,visto que além de não possuir uma ideologia,ou como queiram,uma diretriz explícita, não consegue ser uma unidade.

É um aglomerado de caciques sem compromisso algum com o partido.As facções fazem os acordos que bem lhes favoreçam em detrimento a um comando central.Tristemente é uma espécie de buraco negro que parece arrastar todas as outras siglas para o seu centro.E deste nem mesmo a luz consegue escapar.

Ainda alguns corpos de outras matérias teimam em resistir a essa atração fatal,talvez em um inútil esforço.O senador gaúcho parece ser um desses corpos.Talvez existam outros corpos lutando contra essa Supernova politiqueira. Quem os escuta ?

Simon deve se afastar e levar consigo suas convicções. Servirá de escárnio ou servirá de exemplo ? De qualquer forma, ele é a demonstração que o mal escapa às fronteiras (agora tênues) entre os partidos.Talvez encontre resistência na fronteira pessoal de cada um.O bom caráter o repele.

E por que Simon não foi expulso ou sofreu qualquer punição ? Primeiro porque o PMDB não é um partido e se o fosse teria sido ela ( a sigla ) a cometer a traição aos principios pelos os quais foi criada.Essa é a diferença !

A observação que fica é que a história estaria se repetindo.A supernova caminha para sua fase final e o buraco negro já começou a sua atração.A pergunta que ressoa : quem será o Pedro Simon, que terá peito para enfrentar o próprio partido e dizer publicamente o que está errado ? Os bons também merecem representação e a história nos dar lições valiosas.Feliz de quem a escuta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog