sábado, 13 de outubro de 2012

CACHORRO 00171 SUA MELANCOLIA É A MINHA

Saindo de uma agência bancária aqui na cidade do Trabalho e Cidadania, depois de escapar de dois pedintes, suspeitos estelionatários de olhares piedosos, deparei-me com ele.

Encolhido no canto da calçada, dormindo em pleno sábado de sol.

No Centro.

Malhado, de pelo brancos e castanhos.

Um cão vadio

Sem onça pintada no cio, ou de olhar agateado para se apaixonar.

Ainda assim, livre.

Um cão vadio é livre das coleiras e da missão de guarda do patrimônio do alheio.

Foi sua utilidade depois que perdeu o homo faber sua necessidade de caçar para sobreviver.

Foi escalado então o cão não-assalariado para proteger a propriedade.

A evolução da inutilidade do capital transformou alguns em mimos.

Enquanto alguns filhotes de humano morrem à míngua, de fome.

Mas tem cão também  sem emprego, como aquele que sem ocupação é vadio, sem futuro, vivendo o agora.

Mas êpa ! o tempos são outros !

Aquele malhado ali tem registro.

Uma plaqueta amarela na orelha esquerda, número 00171.

Ele não é só mais um cão. Pode ser identificado.

É a evolução da bioprisão, do biopoder.

Depois dos humanos, agora os canídeos.

Um cão emplacado !

Qual a utilidade disto ?

Talvez no próximo acidente com motociclista :

"_ Segundo algumas testemunhas o número do cachorro responsável é 00171."

 O domícilio é necessário diz o Poder: "O local é onde se encontrar"
 
Um dia depois do tal dia das crianças e ninguém o acha engraçado, fofo e esperto.

Não ganha cafuné, pudera, não movimenta o comercio. 

E o olhar é só de uma profunda melancolia.

Cachorro 00171, no lugar de versículos, artigos.

2 comentários:

  1. Cara, parabéns este blog é demais. Virei fã !

    ResponderExcluir
  2. Nossa esse fundo musical é super-mega, maravilhoso me fez lembrar de bons momentos do passado que jamais serão esquecidos!Muito boa sua matéria. Parabéns!!!Boa Tarde!Abraços Noely

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog