sexta-feira, 12 de outubro de 2012

POBRES RIMAS PARA OS VENCEDORES DA INOCÊNCIO CITY

Ontem, em cidadezinha de "sonhos pequenos que nunca têm fim", no interior  de um estado "longe demais das capitais" ocorreu a diplomação dos escolhidos pelo povo para nos guiar ao caminho da redenção.

Lá, não estive. Mas ainda pude, mesmo assim, imaginar o desfile em um sonho _ desses sonho qualquer que se sonha só. Nas verdades, eu já sonhara bem antes de ontem, só esperei o momento certo. Resolvi então contar em versos que só agora publico.

Saíram-me péssimos, pobres, mas como escrevo só por 'amor', não terei problema com os patrocinadores.



Eis aí:


Por aqui já virou moda falar
de quem foi embora ligeiro,
esquece-se do mais importante:
quem fica, vai ganhar nosso dinheiro.

Coisa ruim de engolir é Jurubeba
Por seus espinhos e amargores
e agora aqui _só de birra
vou falar dos nobres ganhadores

Se quem perde, de balsa vai embora
quem fica é atores e atrizes
homens e mulheres felizes
se achando os donos da bola

Peço-lhes atenção meninos, meninas
Senhoras, senhoritas e senhores
vai começar o grande desfile
dos nobres vencedores

E começa o espetáculo
com o povo todo aplaudindo
e alguns candidatos,outrora amorosos,
agora num vem nem sorrindo

Quem começa o desfile
é povo da  laranja Frente
que não está comemorando
parece não muito contente


O primeiro é um galego que
não está nem um pouco avexado
e o povo da oposição grita:
" _esse aí parece invocado !"

O galego acena com a mão
e mantém firme o andado
chama a imprensa e diz
eis aí o meu recado :
" _ Tá ruim pra você coronel
não vou ser pau mandado ! "

Atrás dele vem uma mulher
que o povo tira o chapéu
com ela se não for na calma,
vai é  assim mesmo: aos emboléu !

De uma escola já foi diretora
mas nunca teve assombros
para muitos a complicada tarefa
ela carregou na raça e nos ombros

De fibra, guerreira,  e muita coragem,
gasguita, como mulher que se preze
foi logo dizendo, sem pensar muito:
" Coronel, já se ajoelhou ? agora reze !"

O terceiro a entrar na passarela
já de tudo fez um pouquinho na vida
professor,sindicalista, gestor, jogador
cantor, pastor,gari... só não foi margarida.

Na campanha apareceu na televisão
falando " pra você servidor municipal
ou prefeito fazendeiro vai dar aumento
ou na câmara vai levar muito pau "

Desse time laranja do contra
um homem foi o último a entrar
desconfiado olhou de um lado a outro
não sabia por onde começar

Mais aí lhe veio um estalo
um pensar repentino volver
peraí ! não esta não é a primeira,
desta feita vou botar pra ferver

Acabando a 1.ª parte do desfile
um rumor do povo se escutou:
Desses 04 aí minha brava gente 
haverá por acaso um traidor ?

Olha que o povo tem razão
tome nota, o desconfiar é  perfeito
da  famosa   legislação passada
funcionou o olhar do jiboia-prefeito
************************
Vai começar a segunda parte que
de agora no Jurubeba é tradição
é a galera do 'pula-pula ligeiro',
que o prefeito, lisonjeiro
chama de 'exército da situação'

E foram eles chegando sorridentes
e o pequeno burburinho aumentando
e a galera curiosa só querendo saber:
"_ Nego véi, quem tá mesmo mandando ?"

E o primeiro foi um jovem rapaz
filho de um político já saudoso
me pareceu, inteligente,capaz, 
não trazia no rosto um olhar medroso

Falou em alto e bom tom
na política sou um pinto no ovo
mas fiquem os senhores sabendo
vou está sempre ao lado do povo

Entrou a segunda mulher,
do povo do 'bem' ouvi elogio rasgado
tem nome da família, não nega
o prefeito pode ficar sossegado

O próximo, um cara de azul me disse:
"é um homem muito trabalhador"
Tá bom, assim seja, só não pode é  agora
repetir pra tudo," sim sinhô, sim sinhô"

Evem outro,
Começou um grande murmúrio
era a cúria   mostrando espanto
não iniciou a campanha como favorito
mesmo tendo dois nomes de santo

"É, podia ser desconhecido"
falou um sujeito antenado
"mas é muito amigo do 'homi'
aí teve  voto muito casado"

Quem tem reza e santo forte
isto aqui não me apraz
pode ser um dos eleitos
veja o que dinheiro não faz !

Ouviu-se agora no desfile
ainda constante apulpado
a vila te deu outra chance
e agora vai dar o recado  ?

Começou um alarido ruidoso
que parecia um tropéu
em pleno mês de outubro
quem faz semelhante papel ?

Pela terceira vez ganhou
a vaia comeu no centro
e não era  'O cara do posto' ?
aí ninguém ficou isento

Sempre tem gaiato se ficar
no canto quieto, calado, pira
na oportunidade apontou:
'_oia o homi do fura-fila'

O povo só se acalmou
quando outro pisou no tablado
olhando de lado pra outro
o pessoal achou engraçado

Era meio desconhecido
desses partidos nanico
o povo manda: " trabalhe
pois a urna não é penico"

Sentiu-se então  um cheiro
de piau, sardinha e mandim
mas não apareceu peixe
e sim um cara gordim

"Caiu na rede é peixe
levanto cedo da cama
como sou amigo do fazendeiro
eu vou brigar com o Ibama"

O penúltimo na senda entrar
faz trabalho que o povo tem medo
vestido todo de preto, barbado,
parecia bisneto de cel Azevedo

A segunda parte foi fechada
por outro também desconhecido
que da viagem da balsa foi salvo
graças à legenda do partido
************************
A terceira  parte já começou
mas eu não tirei o chapéu
pois na passarela adentrou
um gabola e peitudo coronel

O homem se diz do povo
mas sequer pisou no chão
do alto de sua empáfia
desfilou em caro alazão

O quadrúpede é gordo bicho
não come angu sem caroço
dorme no ar refrigerado, dizem
e o eleitorado que more no poço

O dono imitou o Lula
mas nem o dedo cortou
e o desdentado contente:
-" deixa o homi trabaiá prisiguidô! " 

O que a eleição mostrou
o Jurubeba antes já sabia
o homi agora aí reeleito
é prefeito da absoluta minoria

Se você leitor já quer saber
preste atenção no que digo
ganhar até que o cara ganhou 
mas na cidade não é querido
62 por cento disse não !
e ainda lhe deram apelido
 
"Prefeito xibiu", gritou um
eleitor, aí desses enxerido,
por quê ? perguntou outro
"Ué , ele não é o perseguido ? "   

Não existe nada tão ruim 
que não possa ficar ainda  pior
 mas já o verso tá quase no fim
 mas então  vamos lá, espie só

O mestre da politica é astuto
fã da minisérie global 'Gabriela'
não adiantar trincar os dentes
quando se tem a boca banguela

Depois de ouvir o insulto
tentou logo ali se vingar
disse se prepare minha cidade
que agora eu vou te usar

Começou um grande rebuliço
que não vou contar por inteiro
o lance foi muito, muito rápido
foi sim muitamente ligeiro

Um eleitor muito invocado
quis logo arrochar o artista
danou tremendo chute no saco
mas acertou a boca do jornalista

Por aqui eu termino agora
sem citar nome de ninguém
deixo por conta da imaginação
do povo 'do mal' ou 'do bem'

O conteúdo é pobre, confesso,
não levanto minha bola
como desculpa eu digo
É o que pude em meia hora

Sem grana sou, então  peçam
por favor, àquele que cuida dos seus
que depois de ouvir as críticas, meçam,
 ele não disse, "vou entregar é pra Deus"  ?  


O blog é inútil, é pobre coitado
mas não sabe ficar no muro e mudo
aprendi com o poeta a ter lado:
" Não seja só metade, sê tudo"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog