terça-feira, 30 de março de 2010

Chega de estrelismo

Tem uma piada que diz : Os médicos pensam que são Deus. Os jornalistas têm certeza que O são. Mas, Jornalista é humano, tem seus defeitos e qualidades e como todo mundo tem o direito garantido pela Constituição Federal de emitir sua opinião.

Só que algumas figuras exageram. O mais importante em um jornal é a notícia e não o noticiador.O bom jornalismo é aquele no qual haja pelo menos duas versões dos fatos.A opinião fica por conta de quem assiste, ler ou ouve. Jornalista palpiteiro é um porre.

Alguns para aparecer fazem qualquer coisa. De uma hora para outra o apresentador vira um expert em qualquer assunto.Ensina como se deve fazer estrada, declara superfaturamento em obras, como deve funcionar o sistema de saúde, qual é o melhor ou o pior vereador e por aí vai. Em suma, o jornalista vira o supremo ser da inteligência.Tem solução para tudo, menos para seu inflado ego. 

De parte minha  defendo o direito de não só o jornalista ,como qualquer outro cidadão, emitir juízo de valor sobre o que bem quiser. Porém, o jornalista não é um cidadão comum, quando  está à frente de uma câmera, falando ao microfone, ou fazendo letras para um jornal ou revista. Jornal não é como blog pessoal. No seu ofício ele é formador de opinião imparcial. Se a imparcialidade é utópica é outra história.

Então, naquele momento ele está representando a verdade para o público. Aí todo cuidado é pouco.Como ilustração temos o caso ocorrido recentemente em uma determinada rede de comunicação local, quando um apresentador de um programa de notícia ao comentar uma matéria sobre uma campanha de vacinação,simplesmente declarou que não tinha coragem de tomar uma vacina por desconhecer sua eficácia ou qualquer coisa do gênero.Que serviço de utilidade pública, não ?

Isso é o que dá jornalismo do  " achismo ". O jornalista poderia até discordar da campanha, só que no mínimo deveria apresentar argumentos baseados em prova contrárias e não em meras especulações. No futebol , dizem que o juiz bom é aquele que não aparece. Jornalista bom é aquele menor que a notícia. Esta sim é a protagonista do enredo.




  

5 comentários:

  1. Concordo com sua opinião.Alguns jornalistas aqui em Cruzeiro do Sul pensam quem são os donos da verdade, principalmente uns que chegam de fora e pensa que aqui só tem ìndio.Lembra daquele que botava o galo pra cantar ? ô presepada !!1

    ResponderExcluir
  2. Jairo,

    Pelos menos esse a que vc referiu ainda tem um pouco de conhecimento.E outros que nem falar sabe e ainda menos escrever.Tem um que só se refere a si próprio na terceira pessoa : o famoso fulano de tal.
    Dizem que de médico e louco todo mundo tem um pouco. De jornalista eu não quero ter nada.Pense numa raça.

    ResponderExcluir
  3. Jabor, meu camarada, não generalize.Na profissão tem muita gente boa.Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Eu estou com o Jabor. Essa raça ...

    ResponderExcluir
  5. Aqui em Cruzeiro do Sul, são poucos que sabem fazer reportagens decentes.A melhor daqui é a Luciana Teixeira.É uma excelente profissional

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog