quinta-feira, 16 de junho de 2011

PEIDAR À MESA NA HORA DO ALMOÇO É FEIO MAS PODE

Imagem: Internet
  
O Procurador Geral da prefeitura de Cruzeiro do Sul cumpriu o seu papel institucional e ontem respondeu na RTV Juruá as acusações de nepotismo feitas contra o município. Fez valer, claro, cada centavo do seu gordo salário.

Não assisti à entrevista , ocorrida na TV Juruá, esperando que o procurador fizesse um gol contra o próprio time. Confesso-me, porém, abestalhado, como dizia Raulzito, que estou decepcionado. Acho que ele , o procurador, quis se aproveitar da minha obtusa condição de cidadão leigo no assunto para não explicar nada.

Aliás, ele pode ter a competência, como mostrou seu esforço, para explicar tudo. Só não poderia subestimar minha inteligência de telespectador e querer me  fazer acreditar , que por mais que sejam "legais" os atos do prefeito, que também  sejam "morais".

E cá entre nós, o STF pode se esmerar em decidir sobre tudo, menos sobre o que é moral para o povo brasileiro. A moral não pertence à politica oficial, como pertence as leis e suas legalidades. A moral reside na política popular da vergonha  praticada no cotidiano de uma cultura qualquer.

Que me desculpe o Procurador , mas dizer que a contratação, seja pelo viés politico ou não , de parentes  _ exceptuando-se a da competência pelo concurso público de provas, pois até o de título soa suspeito _  quando se está no poder não é imoral, é um acinte ao senso de justiça. 

O emprego de parentes, independente do grau de parentesco, é um ato vergonhoso, imoral e repugnante. A metade das pessoas citadas não foram contratadas por seus méritos , a não ser o de ter nascido na família do mandatário do município. Se é que podemos denominar isso de mérito. Mesmo que o STF tenha entendimento do contrário, o caso fere, sim, a noção geral de equidade, fundamental para a manutenção da democracia.

E também não vale a alegação feita pela procurador de que isto ocorre em outras cidades ou em outra esfera de governo. Não se justifica uma imoralidade com outra imoralidade. É rídiculo em qualquer lugar.

Para aumentar minha azia, me vem o vereador Romário Tavares (PSDB), hoje no mesmo horário e canal, falar sobre o mesmo assunto. Falar não, tergiversar usando o mesmo argumento. Tavares tartamudeiou  que " o STF nos últimos dias tem envergonhado o povo brasileiro com suas decisões " e citou o caso do ex-governador do Paraná , Roberto Requião, que tinha um irmão nomeado como secretário de estado e o STF julgou improcedente a acusação de nepotismo.

Caramba, pensei, ele vai dizer " sinto muito prefeito sou da base de sustentação, tenho maior respeito por V.Ex.ª , mas desta feita vou ficar ao lado do povo, e dizer que  sua conduta, mesmo que não seja ilegal é imoral, indecente até. Então por favor em nome da nossa amizade, conserte este erro o mais breve possível "

Infelizemnte o que disse foi  :" Causa mal  impressão (sic), mas o prefeito Vagner Sales, tem todo uma história (sic) de luta. Está preparado ".  Tá bom. Talvez eu que não esteja preparado para engolir   tamanha estultice.

O Procurador Geral do Município, até que entendo. Ganha para defender a prefeitura sob quaisquer circunstâncias, é a função dele. Mas o vereador ... Faça-me o favor !

O prefeito Vagner Sales pode até não ser alcançado pelas leis feitas pelos políticos para beneficiar eles próprios, mas do repúdio dos cidadãos com o mínimo de senso de justiça  ele não escapa. E não duvidem da capacidade da população de observar tais procedimentos reprovaveis pela moral.  

A decência não está presa às amarras do papel. Fiquemos, então, com ela e não peidemos à mesa na hora do almoço que é feio, fede e é da conta de todo mundo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog