domingo, 18 de março de 2012

JÁ QUE NÃO BEBO MAIS...




Hoje me parece um domingo diferente.

Não porque seja carnaval, nem São João, nem balão no céu , nem luar do meu sertão como dizia, mais ou menos, aquela versão brasileira de um sucesso estrangeiro qualquer.

É que hoje tem Náuas, jogando no Arena do Juruá.

E daí ? 

Nada. É que não consigo ficar indiferente.

Não conseguiria convidar ninguém a ir ao estádio hoje à tarde. Faltaria-me argumento para tal. É um evento que não representa nada na vida das pessoas.

Não há show de bola no campeonato acreano de futebol profissional. Nosso futebol perdeu a magia dos tempos de amador e nem conseguimos a eficiência tática e física do futebol rico de hoje.

Estamos patinando no meio do caminho.

Acharia, portanto, fácil, muito fácil, mil e uma coisas mais importantes para as pessoas fazerem neste domingo do que irem ao jogo.

Entretanto, concretamente, não imagino uma que as impeça de irem.

Por aqui ainda podemos dizer jogo de futebol aos domingos à tarde é "um programa de família". Nossos estádio ainda não se tornaram campos de batalha para marginais travestidos de torcedores, fenômeno típico do futebol profissional de países sem lei _ ou sem o cumprimento dela _  decente.

Eu vou. Não atrás do espetáculo a ser propiciado pelos jogadores. Não temos este privilégio.

Vou  atrás de outro tipo de espetáculo que envolve um jogo de futebol  e que me fica na retina: a bola branca correndo macia sobre o verde gramado, a profusão das cores dos uniformes, a passionalidade ingênua dos que estão nas arquibancadas, a imagem do sol se pondo no horizonte e dourando a paisagem...

Vou rever amigos que pensam igual, parecido ou totalmente inverso ao que vejo.

Já disseram que o gol é só um detalhe do jogo, o que acho um absurdo já que é a única meta da partida. Penso que a partida ainda é o principal, mas são os detalhes que me aguçam e me mostram qualquer outra coisa que não seja o jogo em si.

Ao final  estarei tão vazio de espírito como estava no começo. Tenho a consciência que poderia ter  dedicado aqueles  90 minutos para coisa melhor para mim e meus semelhantes. 

Foram mais um hora e meia de inutilidade. Me atrasei mais uma vez na corrida contra aqueles que se preocuparam em fazer coisas importantes naquele momento.

O troço é quem só se preocupa com coisas importantes acaba ficando importante demais, morre do mesmo jeito e não curte o que há de bom nas inutilidades da vida.

Ao palco onde o tapete da realeza é verde, aí vou eu.
______________________________________

* A foto é do blog do professor Franciney, que também está nela.
**  O menos feio sou eu, aos outros dois só resta ser os mais bonitos.

3 comentários:

  1. Valeu, Espanhol!!!
    Eu também estava lá, testemunhado a perrenguice do "Máuas", que aliás deveria jogar só em Rio Branco, quem sabe assim poderia conseguir uns pontinhos...

    ResponderExcluir
  2. Para eu que quase morri esmagado tentando assistir às partidas dop corintias no morumba, mesmo o futebol capenga do Náuas na Arena do Juruá, parece mais interessante. A beleza cênica do futebol é sempre um espetáculo e aqui ainda reencontramos amigos, brincamos, xingamos juntos... Ainda vale a pena. Só não tava lá pq tava noutra partida. Foi dois a dois.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog