domingo, 23 de maio de 2010

Náuas x Rio Branco: A rivalidade histórica adiada

Hoje é domingo.Hoje tem Náuas lutando por uma inédita vaga na final do Campeonato Acreano. Por motivo da vitória no último domingo, o Cacique do Juruá jogará , seguindo a regra da competição, por dois resultados de três possíveis. Ou seja,  jogará por uma vitória ou por um empate.

No caso de derrota do Náuas, seja qualquer for o placar, o jogo terá mais 30 minutos de prorrogação.E se não houver vencedor, a vaga será disputada por penalidades máximas. Aí, como já diz o Galvão Bueno, o maior pé-frio deste país: " Haja coração amigo !!!"

No meio esportivo da cidade esse é o assunto principal. Então a tendência é que a presença do público no estádio de Mancio Lima seja grande.Por falar naquela praça de esporte, considero de péssimo gosto essa denominação de  "Arena do Japiim". Isso esvazia o conceito. O formato do estádio nada tem de arena.Pior que isso só o antigo alcunha de "Totão". Estamos precisando de criatividade.

Seja como for, quando vou à cidade de Mancio Lima e vejo um bom público em jogo pelo Acreano em pleno domingo à tarde, bate uma nostalgia. Remete-me aos domingos à tarde nos idos anos 80, quando eu ainda moleque e sem dinheiro para pagar a entrada, "furava" o velho estádio José de Melo, pulando o muro lateral. O lado que fica no bairro da Capoeira era o preferido.

Tudo pelo prazer de ver um bom jogo. Estádio Lotado. A maior rivalidade era Independência e Juventus. Talvez por que lembrava o famoso Fla x Flu.  Rubro-negros versus Tricolores. Como ainda não havia  a concorrência da televisão, aquilo era o que tínhamos de melhor. Aqueles eram alguns de nossos craques: Dadão, Paulinho, Paulão, Mariceudo, Paulo Roberto,Carioca (isso mesmo o assessor do governo !) e o Cruzeirense Erivado.Incrível , mas o Erivaldo joga até hoje no Cruzeirão.

Eu era torcedor do Floresta. O Floresta não venceu um único campeonato. Mas, eu, menino  não queria saber disso. Adorava a cor da camisa do time : laranja com detalhes em preto. O Floresta foi extinto e com a chegada do profissionalismo quase que o Campeonato Acreano também.

Agora, com a " interiorização" do campeonato e o apoio do governo, o certame ganhou novo fôlego. Entretanto, todo campeonato que se preze , precisa de uma rivalidade. Hoje  não temos,  pois o Rio Branco ainda detém a hegemonia , mesmo com o tropeço do último ano.

Mas, alguma coisa  já está mudando. Vejo o Náuas, futuramente, como o outro lado da polarização.Será sem dúvida a rivalidade Capital x Interior, Vale do Acre versus Vale do Juruá. Potencial para isso a agremiação do Juruá tem. Para começo de conversa é hoje o time que mais leva torcedor aos estádios no campeonato.

Logo mais à tarde,o Náuas poderá dar mais um passo rumo a essa rivalidade. Deve  classificar-se para a final, vencer o Rio Branco, firmar-se como a segunda força do estado e nos próximos anos brigar para assumir como a maior força. Será uma boa briga entre os dois mais antigos times do Acre em atividade.

A rivalidade histórica entre esses dois times, foi adiada por muitas décadas por conta do isolamento geográfico entre as duas regiões.O destino agora , parece que enfim, vai seguir o seu curso e o campeonato Acreano vai ser realmente Acreano.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog